domingo, 20 de abril de 2008

COMPORTAMENTO – Brechó virtual está em alta entre as mulheres



Com toda esta facilidade de aquisição via internet, somada ao comportamento feminino tendencioso às compras, só remete ao dito popular “É como juntar a fome com a vontade de comer”. É... menos cafona que este ditado, é esta onda de renovar o guarda roupa apenas no clicar do mouse. Aliás, de cafona esta tendência nada tem, já que objetiva um guarda roupa super na moda.
Há blogs voltados as vendas virtuais de roupas de renomadas grifes que tem em média 2 mil acessos diários, configurando assim um sucesso no seguimento dentro da blogosfera. Este é o caso dos blogs:
Arara Reformada, Bazar! , e Filet Para Quem É Mignon.
Saiu uma matéria sobre este recente fenômeno da rede, que está agitando a ala feminina. Foi no site Globo.com (Veja a matéria
clicando aqui). E você? O que achou desta idéia? Acha prático comprar roupa só vendo a fotografia?


Responda a nossa enquete.



Lina Costa

COMPORTAMENTO - Preocupadas mulheres...


Estudo revelou que realmente a mulher se preocupa mais que o homem. Esta pesquisa realizada nos Estados Unidos, publicado na revista especializada Child Development e divulgado pelo site terra, reuniu 128 pessoas e aplicou-se testes envolvendo eventos negativos.
Após isto os pesquisadores avaliaram como os indivíduos reagiam ao fato. A partir daí viu-se que a mulher explica o comportamento dos personagens dos fatos relacionando-os com situações vividas no passado.
Além de também ressaltar os danos causados. E assim dando muito mais intensidade a tudo o que experiencia.
Depois disto ficou claro que o nível de preocupação é realmente maior que nos homens.
E como fica isto na prática? Você percebe esta reação mais destacada em si do que em seu parceiro?
Quem lembra primeiro de: pagar as contas, de levar a roupa tal para trocar o zíper, fazer a manutenção esporádica do carro, de comprar a ração do cachorro, marcar consultas médicas, e etc? É... realmente parece que a mulher se sente ameaçada pelo “senão....” psicológico, demonstrando mais preocupação que o homem. É o fantasma da consequência.

Na casa de Beli Pereira quem se preocupa com quase tudo é sempre ela. “Sou dona de casa a mais de duas décadas, e até hoje desde as atividades relacionadas à mulher, como questões domésticas, à até mesmo os compromissos de meu marido, quem se antecipa para resolvê-los sou eu”. Mais preocupadas ou não, a mulher atual está agregando em sua rotina tarefas antes tão somente másculas. E assim sendo o nível de preocupação acompanha esta evolução fazendo com que o anseio para apresentar qualidade em tudo que faz se multiplique.

Lina Costa

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Saúde - Belos Adormecidos


Homens dormem com mais facilidade

Você já parou para pensar porque a maioria homens dormem com mais facilidade e tem sono mais pesado que as mulheres?

Pesquisadores da Duke University, nos Estados Unidos ,atribuem o sono ruim a estresse psicológicos e a presença de biomarcadores, que são substâncias biológicas encontradas no corpo, o que indica um risco maior em se adquirir doenças cardíacas e diabetes do tipo dois. E segundo eles, as mulheres estão mais suscetíveis a essas doenças:

“O estudo sugere que o sono de má qualidade - medido pelo tempo total de sono, o grau de profundidade e, mais importante, o tempo que se leva para pegar no sono - pode ter conseqüências mais sérias para a saúde do homem do que para a saúde da mulher", disse Edward Suarez, professor associado do Departamento de Psiquiatria e Ciências do Comportamento da Duke University e principal autor do estudo.

Apesar da descoberta Suarez lembra que a maior parte dos estudos feitos até agora, com relação ao assunto focaram o público masculino.

Foram analisados 210 homens e mulheres, sendo que nenhum deles fumava ou tomava medicamentos diariamente. Após responder um questionário 40% dos homens e das mulheres responderam que apresentavam alguma alteração no sono. Mas a realidade veio a tona, com exames de sangue, os quais revelaram que o nível de biomarcadores ,associados ao aumento do risco de doenças cardíacas e diabetes, entre eles o nível de insulina e glicose, fibrinogênio (um fator coagulador) e duas proteínas inflamatórias, a C-reativa e a interleucina-6 era bem maior em mulheres, o que revela que apesar de problemas parecidos a dificuldade do sexo feminino na hora de dormir é bem mais dramática.

Para Suarez, a qualidade do sono em si nem parece interferir tanto os riscos de saúde, mas, sim, o tempo em que a pessoa leva para pegar no sono. "As mulheres que relataram demorar meia hora para pegar no sono apresentaram o pior perfil de risco", disse Suarez.

BOX: DICAS PARA DORMIR BEM :

1 - Não vá para a cama sem estar com sono;

2 - Acorde no mesmo horário todas as manhãs, inclusive nos finais de semana:

- Se você sentir que precisa acordar mais tarde aos sábados e domingos, que seja apenas uma hora a mais;

3 - Não faça cochilos;

4 - Não consuma bebidas alcoólicas durante o período de quatro horas antes de ir para a cama;

5 - Não consuma cafeína após as 16 horas, ou no período de seis horas antes de se deitar;

- Informe-se sobre bebidas, alimentos e medicações que contenham cafeína;

6 - Não fume durante muitas horas antes de ir para a cama;

7 - Faça exercícios regularmente;

- O melhor horário para praticar atividades físicas é no final da tarde ou de manhã. Evite esforços físicos após as 18 horas;

8 - Use o senso comum para fazer seu ambiente apropriado para o sono. A temperatura deve ser adequada, mínimo possível de som, barulho e luz;

9 - Se você está acostumado, faça um lanche leve antes de dormir (bolachas salgadas, leite, queijo branco);

- Não coma chocolate ou coisas com muito açúcar;

- Evite muito líquido;

- Se acordar no meio da noite, não coma. Senão começará a acordar sempre no mesmo horário com fome;

10 - Não use sua cama ou quarto para outra atividade que não seja dormir (a única exceção a essa regra é a atividade sexual);

- Você não deve ver TV, ler, conversar ao telefone nem se preocupar, discutir com seu cônjuge ou comer na cama;

11 - Estabeleça uma rotina para ir para a cama como sinal para dormir;

- Escove os dentes, acerte o despertador e faça coisas compatíveis com o horário;

- Realize essas atividades na mesma ordem todas as noites;

- Use sua posição de dormir preferida em combinação com seu travesseiro e seu cobertor prediletos;

12 - Quando estiver na cama, apague as luzes com a intenção de adormecer logo. Se você não consegue dormir em pouco tempo (10 minutos), levante da cama e vá para outro cômodo;

- Faça alguma atividade tranqüila até começar a sentir sono de novo e então retorne ao quarto para dormir;

13 - Se você não adormecer rapidamente, repita a instrução anterior;

- Repita esse processo quantas vezes for necessário durante a noite;

- Use esse mesmo procedimento se você acordar no meio da noite e não conseguir voltar a dormir rapidamente;

SONO PARA CRIANÇAS

1 - Mantenha uma rotina para os cochilos diurnos das crianças pequenas;

- Evite cochilos no final da tarde;

2 - Crie uma rotina para a hora de dormir da qual faça parte um momento bom com os pais (ler histórias, ouvir música, etc);

3 - Evitar bebidas (chocolate, refrigerante e chá mate) e medicações que contenham produtos estimulantes;

4 - Crie um ambiente que leve ao sono e recompense as noites bem dormidas;

5 - Mantenha o mesmo horário para os pequenos dormirem e acordarem todos os dias;

6 - Coloque a criança na cama ainda acordada;

7 - Tente não deixá-la adormecer tomando leite, assistindo TV ou em outro lugar que não seja a sua própria cama;

8 - Não alimente a criança durante a noite;

9 - Evite levá-la para a cama dos pais para dormir ou acalmar-se;

10 - Se a criança acordar durante a noite para ir ao banheiro ou por causa de pesadelos, fique no quarto dela até acalmar-se e avise-a de voltará para seu quarto quando ela adormecer;



Andressa dos Santos Urbick

terça-feira, 15 de abril de 2008

COMPORTAMENTO - Esperança é a última que morre


No mundo hipócrita em que vivemos, onde predomina o egoísmo e a constante busca pelo interesse pessoal fica difícil ter esperança de dias melhores, mas jamais demonstrarei tal insegurança às pessoas inocentes que se espelham em mim, meus filhos.
Moro em uma cidade que já foi calma um dia, mas que hoje como tantas outras está cheia de violência, pobreza, descaso e dor. Recordo que na minha infância passávamos horas desfrutando da liberdade despreocupada de ser criança, corríamos na rua, fazíamos cabanas nos terrenos vazios, piqueniques, e íamos dormir pensando na aventura que viria no dia seguinte. Não sei se a responsabilidade me pegou de jeito, mas a verdade é que vivo cercada de grades e não tenho coragem de dar à mesma liberdade que tive aos meus filhos. Talvez até possa ser super proteção, mas atire a primeira pedra quem tem a ousadia de permitir tal luxo. Luxo sim, porque a realidade atual nos priva de incontáveis prazeres, que o antes era tão simples. Andar de bicicleta era meu passatempo favorito, tente agora no mínimo volta sem ela, quando muito não perde a vida. Somos eternos prisioneiros, com o direito limitado de ir e vir.
Fiz uma breve reflexão sobre a vida e percebi que vivemos envolvidos por uma bolha. O povo é governado por leis, que são criadas a partir da necessidade dos interessados. Na maior parte do tempo estas leis não são cumpridas, e as desculpas para atos ilícitos são infinitas.
Vivemos na escravidão capitalista que nos da à noção de falsa liberdade, quantos trabalhadores não recebem a remuneração justa, compatível com sua capacidade. O pior que outros contratam serviços baratos, dispensando muitas vezes a segurança do trabalhador experiente, e a criatura se sujeita a ser tratado como produto de baixo valor.
Desculpe-me se pareço as essas alturas preconceituosa, mas sejamos realistas quem acredita num ensino onde os professores são mal remunerados e crianças até quarta série do Ensino Fundamental não reprovam, haja amor à profissão.
Saúde é motivo de piada, agora não sei se choro por ter plano de saúde ou ergo as mãos aos céus por este privilégio. È fato e menciono isso porque há um tempo atrás fui picada por uma aranha marrom, sossega por poder contar com meu plano fui ao médico, que com toda convicção me disse que eu tinha uma alergia, receitou então dois remédios que me custariam noventa reais. Minha surpresa foi que ao chegar à farmácia o farmacêutico meu olhou e disse que não venderia o remédio, pois aquilo era uma picada de aranha, e me sugeriu uma visita ao Posto de Saúde, depois de seis horas de espera finalmente fui atendida, confirmando a picada de aranha.
Para mim a estadia em ambos os estabelecimentos foi uma lição de vida, afinal pude ver de perto a vergonha do nosso sistema de saúde, e hoje acompanho de perto os absurdos cometidos com os pacientes de toda e qualquer classe.
São tantas as questões que me atormentam, mas fico com a esperança de que as pessoas devem buscar o crescimento pessoal, respostas, contestando idéias pré - concebidas, ampliando sempre a capacidade mental, livrando-se de preconceitos e lutando para encontrar a melhor forma de ser feliz e construir um mundo mais digno.


Ana Maria Sampaio

TECNOLOGIA - Blogs e livros do futuro

Trabalho após o diploma é um assunto muito discutido nas salas de aula entre acadêmicos e professores de jornalismo. Existe emprego para os novos profissionais? Essa pergunta é respondida pelos próprios jornalistas na atualidade. E ouve-se várias respostas como:
- Há emprego em qualquer área, basta ser competente que as portas sempre estarão abertas.
Alguns já apontam uma outra realidade.
- O mercado de trabalho está saturado, e não absorve todo esse pessoal que se forma.
Desanimo para quem está cursando jornalismo? Não!
O blog webella informa ao seu leitor que existe outras maneiras de obter sucesso na carreira escolhida, e conseguir um emprego.
E qual seria o melhor jeito?
Criar um blog e expor trabalhos que sempre serão visualizados na internet é a melhor forma de estar na mídia. Exemplos não faltam de obras, que surgem nos blogs e atraem o interesse das empresas.
O livro, O Doce Veneno do Escorpião, de 2005, escrito pela blogueira e ex-garota de programa Bruna Surfistinha, é o maior exemplo de que os blogs são muito visitados.
Faça um blog que exponha seu trabalho!

Livros do Futuro

Em entrevista realizada para o site do estadão, Marcelo Duarte, “jornalista curioso” conhecido pelo programa da ESPN Brasil, Loucos por Futebol, explica que os livros do futuro poderão ter equipamentos visualmente munidos de uma tela touch screen em que, com o toque dos dedos, vira-se virtualmente as páginas.
Outros recursos utilizados pelo leitor, seriam os hiperlinks no texto, que possibilitariam ouvir uma música ou assitir ao acontecimento que o livro cita.
Essa nova tecnologia formaria um livro multimídia.
Estamos próximos de presenciar toda essa tecnologia nos livros?

Caio de Alencar Coelho e Marlon Cesar

domingo, 13 de abril de 2008

SAÚDE- RISCO NO CASAMENTO


Mulheres comprometidas na mira da aids

O compromisso sério aumenta a confiança e diminue a prevenção

A pesquisa que eu vou citar a seguir foi realizada há uns seis meses, mas pela importância do caso me senti na obrigação de postar hoje.

Você sabia que 99% das mulheres portadoras de HIV que fazem tratamento na Policlínica Rafael Vaz e Silva em Porto Velho são casadas e têm filhos?

Pois é, companheiras é verdade e segundo a ginecologista Ana Lúcia Rangel a resistência dos parceiros em usar preservativo é o fator determinante para esse número assustador:

“As pacientes afirmam que os companheiros se recusam a usar camisinha mesmo que elas desconfiem dos maridos, se sujeitam a uma relação sexual insegura", comenta a médica que afirma que as mulheres têm um poder de superação bem maior do que os homens, pois são mais seguras e conscientes da necessidade do tratamento”.

Para ela, grande parte dos brasileiros aponta a camisinha como forma mais segura de prevenção, mas na hora do ato sexual essa realidade muda bastante:

"O uso do preservativo e a conscientização da população são as principais alternativas para evitar a doença”, disse.

A conclusão de Ana Lúcia é a mesma de um estudo realizado pela Fundação Oswaldo Cruz. A pesquisa revela que 75% dos brasileiros com vida sexual ativa,sabem da importância da camisinha na prevenção de aids e de outras doenças sexualmente transmissíveis, mas mesmo assim não se previnem.

Dados mais detalhados do estudo,constatam que 60% das mulheres entre 15 e 54 anos não costumam usar preservativos com seus parceiros, o que faz com que as mulheres casadas sejam portadoras de HIV.

O número se inverte quando os parceiros são eventuais, ou seja, quando não há um relacionamento constante entre o casal, fica em 33% a fatia de mulheres que não usam a camisinha.

Ainda ( 7/04/08), não há vacinas contra o vírus HIV. E há seis meses quando li esta pesquisa mais de 200 tentativas para encontrar a solução para o problema foram frustradas. Só por curiosidade ( E lógico porque sei que vão me cobrar dados mais atuais aqui hehe), no dia 30/03/08 uma manchete disse que os EUA estão tentando reverter o fracasso do ano passado e já testam uma nova vacina em animais, vamos esperar para ver o resultado. Mas por enquanto não há cura.

Eu sei que minha opinião não vai mudar a cabeça de mulheres que estão casadas ou que namoram há anos, quanto ao fato de usar ou não camisinha. Mesmo porque isso diz respeito ao corpo e a vida de cada um. Mas uma coisa é certa, a aids ta ai, não tem tratamento ( tem antiretrovirais) e pode contaminar a mim, a minha mãe ou a você, qualquer pessoa que de descuide está sujeito a se tornar soro positivo.

Confiar é uma coisa, agora arriscar a vida com uma doença que até agora não tem cura, aí já é falta ...de amor...de responsabilidade..de vontade de viver...etc.



POR ANDRESSA URBICK

sexta-feira, 11 de abril de 2008

SAÚDE

As Três Xícaras Mágicas

Tomar café diminui a perda de memória das mulheres

Atenção mulheres acima de sessenta e cinco anos, o que parecia um mero prazer agora traz benefícios á saúde: tomar café.

Isso mesmo, garanto que muitas leitoras adoram um café bem quentinho em várias situações do dia a dia, mas um estudo realizado pela revista "Neurology",mostra que a bebida é muito mais útil que combater os bocejos durante a manhã, uma xícara de café ajuda as mulheres maiores de sessenta e cinco anos a manter a memória visual e a lembrar palavras.

O que faz a nossa memória ativar dessa forma é um certo nível de cafeína que também pode ser encontrada em um chá com uma quantidade equivalente do componente.

No entanto, as mesmas vantagens não são percebidas no organismo masculino, já que o corpo dos homens assimila a cafeína de uma forma diferente do sexo oposto.

Segundo o estudo quanto mais café as mulheres com mais idade tomam , melhor se lembram das coisas. Além disso quanto mais idade tem, aumenta os benefícios de uma boa xícara de bebida. Mas deve-se ter em mente que o café tira o sono e aumenta a pressão do sangue.

O estudo da revista Neurology, analisou 4.197 mulheres e 2.820 homens em três cidades francesas durante quatro anos. Para o sucesso da pesquisa, foram desconsiderados aspectos como bebida, dieta e nível de atividade. Desta forma veio a comprovação, mulheres que tomavam pelo menos três xícaras de café por dia, perderam menos vocabulário e em menor medida a memória visual em comparação com aquelas que bebiam uma xícara a menos.

Esses benefícios, que cá pra nós derrubam em partes os tabus existentes com relação ao café,mostraram-se maiores em mulheres que passavam de oitenta anos. Apesar disso, não precisamos chegar até lá para comprovar esses benefícios não é??.

ANDRESSA URBICK

quinta-feira, 10 de abril de 2008

MULHER NO RÁDIO - Torcida 91 Rock inova com comentários femininos sobre futebol

Programa será transmitido segundas e sextas, 12h20, dentro do Canal 91 na Rádio 91 Rock de Curitiba.
Todo dia é dia de ouvir Rock and Roll e torcer pelo seu time do coração. Essa combinação entre Rock e Futebol vai fazer a 91 Rock levar os ouvintes ao estádio através do rádio. Com um projeto especial durante as jornadas esportivas quando a bola está rolando, o ouvinte será o grande convidado nesse projeto, que é diferente de tudo que atualmente as emissoras transmitem.
O Torcida 91 Rock teve sua estréia no dia 04 de abril, sexta-feira, e será transmitido todas as segundas e sextas dentro do Programa Canal 91 – 12 as 14 horas – na Rádio 91 Rock (91,3 FM), diariamente. A equipe do Torcida 91 Rock é composta por 3 mulheres, jornalistas e torcedoras dos 3 times da capital paranaense e da apresentação do radialista Mauro Mueller.
Os times serão representados por: Roberta Salles (Atlético Paranaense), Helena Matta (Coritiba) e Belyza Loureiro (Paraná Clube).
No dia 06 de abril, domingo, as meninas estreiaram em suas primeiras chamadas ao vivo diretamente dos estádios de futebol. No dia, as jornalistas comentaram sobre a situação de cada jogo, conversaram com jogadores e a transmissão se deu em meio a programação musical da Rádio 91 Rock. Em estilo descontraído, a estréia obteve grande sucesso e aceitação por parte do público.
Diferenciais:
* Participação feminina nos comentários; Mescla nas 3 participantes a paixão de torcedoras e o embasamento jornalístico, já que são 3 profissionais da área.
* Foge dos padrões convencionais, pois são comentaristas desconhecidos futebolisticamente, mas que criarão sua identidade, sua própria maneira de falar desta paixão nacional.
Assim, com essas características, a 91 Rock vai unir música, informação e principalmente ATITUDE. (release da emissora, postado pelo editor Osni Gomes)

quarta-feira, 9 de abril de 2008

TECNOLOGIA – 2º Seminário Sangue Novo aborda jornalismo web

Será realizado na primeira na última semana de maio um seminário com Marcos Palácios, Doutor em sociologia pela Universidade de Liverpool, e professor de jornalismo online e Novas Tecnologias de Comunicação, mediado pelo Sindicato dos jornalistas profissionais do Paraná (SINDIJOR-PR).

Além de Palácios, a doutora em Ciências da Comunicação Claudia Irene de Quadros vice presidente da Sociedade Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJOR), também estará presente no seminário, que visa explicar aos acadêmicos e profissionais de comunicação como praticar um bom jornalismo com as ferramentas fornecidas pela web 2.0.
Osni Gomes jornalista e diretor do SINDIJOR, ressalta que o seminário visa explicar e debater o jornalismo praticado na web. Para Gomes um assunto que ainda pouco é tratado no meio de comunicação é a lei de imprensa. Outro ponto abordado pelo jornalista é a falta de credibilidade que os blogs brasileiros enfrentam do leitor brasileiro.
Claudia Quadros ministra aulas para os acadêmicos em jornalismo da Universidade Tuiuti, e estará comentando sobre as principais questões envolvendo o jornalismo online, entre elas os aparelhos tecnológicos que os jornalistas utilizam para participar do jornalismo do século XXI.
Para quem gosta de tecnologia e se envolve com o jornalismo web, ou possui um blog, a presença tem que ser garantida!
Mais informações acesse o site do SINDIJOR.

Caio de Alencar Coelho e Marlon Cesar

terça-feira, 8 de abril de 2008

Política- Benditas Frutas

Divulgação PMCGS
Nelise Dalprá - Apoio do Governo do Estado


Dos vinte e cinco municípios que formam a região metropolitana de Curitiba, apenas dois tem como chefe do executivo uma mulher. São eles: Tunas do Paraná e Campina Grande do Sul. Situada no Vale do Ribeira, distante 72 quilômetros da capital, Tunas é uma cidade com pouco mais de quatro mil moradores, as margens da BR-476, no caminho que vai para Adrianópolis. Eleita em 2004, com 1700 votos a médica ginecologista Nalinez Zanon, (DEM) tenta levar recursos para a região através de parcerias com o governo do estado. Contudo, não têm sido fácil gerenciar a cidade com os parcos recursos obtidos através da arrecadação.

A cidade basicamente sobrevive dos reflorestamentos de Pínus e da agricultura. Outro ponto crítico é a saúde pública. Mesmo com tantas dificuldades é candidadata a reeleição para o próximo pleito em outubro próximo.

Já em Campina Grande do Sul quem da as ordens no poder executivo é Nelise Cristiane Dalprá do PMDB, que também vai ser candidata á reeleição. O município de Campina Grande do Sul fica ao norte da capital e vai da divisa com Colombo até o limite de Barra do Turvo já no estado de São Paulo. Como outros municípios da grande Curitiba é uma cidade dormitório.

Sem um parque industrial que possa abrigar sua mão de obra produtiva, explora a agricultura e tem no Caqui sua principal fonte. O fruto tornou-se o cartão postal da cidade que recebe todos os anos milhares de pessoas para a Caqui-Fest que acontece sempre no parque do caqui onde está situada a maior arena coberta da América Latina.
(Antônio Nascimento)

FUTSAL - Mulheres tecnicas e número récorde de inscritas


Jucira Bento, 40 anos jogadora do time da Urbs, no meio de 64 equipes que estão disputando o futebol feminino no primeiro Jogos Femininos de Curitiba. Ela é a primeira mulher que é técnica dentro de todas as equipes no time da Assufepar com quebra galho e devido a grande amizade que tem com as jogadores deste time. Não optou por ser técnica mais devido a uma contusão no joelho teve que ficar um tempo de molho e agora esta no cargo. Não se espelhou em nenhum técnico de futebol e nem de salão, apenas assiste as partidas de futsal. Entende alguma coisa de tática. Não é uma expert mais sabe o principal para ajudar o time. Com o tempo, é claro, irá aprendendo no decorrer das partidas, a experiência é um grande aliado para ir melhorando o sistema dentro da quadra. Nesta competição inicia sua carreira como técnica e claro que, se o joelho não tiver condição de levá-la aos campos e o time for bem, pretende dar seqüência no trabalho. No futebol de salão os jogos serão assim: foram dividas em 21 grupos de três equipes, classificando-se somente os primeiros lugares de cada chave. A equipe de Jucira tem grandes chances de classificação pois ganhou a primeira partida e, se vencer, a segunda esta classificada para a próxima fase da competição, que irá funcionar no mata-mata. As partidas estão sendo realizadas na Praça Oswaldo Cruz, no Sesi Boqueirão e no Sesc Centro.Fazem duas semanas que estão rolando jogos, provavelmente vão até o próximo sábado e domingo é a fase final da competição.
Para Jucira a modalidade feminina ainda é muito pouco divulgada, então isso impede que crie-se um vinculo de mais mulheres com vontade de serem técnicas dentro do futebol de campo e salão. E claro, o esporte tem um grande predominância de homem o que justifica técnicos homens. Acha que a mulher tem potencial para dirigir qualquer equipe do esporte, não tem queixa da arbitragem porque as pessoas que estão apitando fazem parte da federação e conhecem bem as regras. As vezes tem reclamação de ambos os lados por uma falta aqui outra ali. O grande número de inscritas mostra que a divulgação para as mulheres praticaram futebol esta aumentando é por isso que houve uma grande procura para entrar nos jogos. Não tem nenhum sonho pra conquistar jogando futebol , pois joga apenas por diversão.

(Eduardo de Siqueira)

segunda-feira, 7 de abril de 2008

OMBUDSMAN - Bom Humor

Como sempre, as matérias estão muito boas e interessantes, porém, falta factualidade, assuntos que despertem o interesse e a discussão do público. Notícias que interfiram de alguma forma na vida das mulheres ou na opinião delas, seriam muito bem vindas!
Exemplo disso, é a constante onda de violência contra crianças e mulheres que está crescendo a cada dia mais. Uma matéria que abordasse estes temas certamente teria um impacto bem positivo.
Mas voltando às matérias "muito boas", a "Consciência Nossa de Cada Dia", falou tudo aquilo que todas nós queriamos falar. Faltou apenas falar sobre os aproveitadores dos ônibus, mais conhecidos como "tarados". Nos ligeirinhos e nos outros lotados, o maior cuidado é com a retaguarda...
Boa a lembrança do computador. Hoje é tanta tecnologia espalhada por aí, que nos esquecemos do princípio básico delas: a internet.
As palavras chave da matéria sobre maquiagem não foram bem escolhidas.
A indicação do livro "Dicionário Mulheres do Brasil"caiu muito bem, cultura nunca é demais, além disso, já tivemos boas demonstrações da qualidade desta leitura nas postagens anteriores.


Fico por aqui desejando uma ótima semana à todos (quem disse que só as mulheres lêem o blog?!) e deixando um conselho: tentem manter sempre o bom humor e nunca deixem de dar umas boas risadas!


Até a próxima!

sexta-feira, 4 de abril de 2008

COMPORTAMENTO - Consciência nossa de cada dia


È impressionante como a modernidade e a correria do dia a dia fizeram com que as pessoas se esquecessem de alguns princípios básicos. Acredito por sinal que deixaram de lado um dos mais importantes, a educação. Acordo de segunda a sexta às cinco e meia da manhã para poder estudar do outro lado da cidade, confesso que o que me inspira é o nascer do sol que aponta por detrás das montanhas, respirar o ar matinal é para mim é o reflexo da importância de estar vivo. È uma pena que muitos não tenham o mesmo privilégio, lamento profundamente que não possuam fragmentos da mesma percepção que tenho deste momento. A verdade é que as pessoas mergulhadas em seus afazeres cotidianos mal percebem o espetáculo que as cerca, mal notam umas as outras.
De volta a realidade me deparo com cenas irritantemente desagradáveis ao chegar ao terminal de ônibus. A suprema raça humana como num passe de mágica passa de evoluída a primitiva, é a maior ausência de educação por metro quadrado. Cara amarrada corre, empurra, da cotovelada. As portas do estábulo foram abertas, corram ou vão perder seus lugares, que vença o mais sem noção. Tudo por um lugar no banco. As senhoras cedem lugar aos marmanjos, que fingem sono profundo, crianças são quase imperceptíveis aos olhos dos ignorantes. Porque ignorante segundo nosso Aurélio é o indivíduo que ignora. Observando essa quase selvageria me vem o pensamento de como o homem ao longo de seus dias se tornou singular, produto único e exclusivo do seu eu.
Tento de várias maneiras não me contaminar, desejo bom dia, mantenho a calma, mas percebo que a grande maioria me observa como se eu fosse anormal, louca. O que eles não sabem é que permanecerei como uma rocha, intacta, talvez com algumas perfurações, mas guardando algo raro e precioso em mim, afinal educação vem de berço.

Ana Maria Sampaio

quinta-feira, 3 de abril de 2008

COMPORTAMENTO - Boatos convencem mais que a verdade


O boato influencia mais do que uma ação real, segundo estudo divulgado pela revista Proceedings of the National Academy of Sciencies (PNAS).
Mas e no cotidiano isto é fato notório?
Com certeza, é o que afirma Fabiane Tombely, 22 anos. Para ela os boatos estão sempre presentes e infelizmente já fez parte de sua vida prejudicando-a afetivamente.
O boato convence mais que a verdade, o que torna a situação muito mais perigosa do que se pode imaginar. A estudante Cilane de Freitas, 34 anos, desabafa: “Vários boatos que bombardearam meu casamento foram capazes de provocar o divórcio, tudo porque eles, os boatos, geraram desconfianças a respeito de um amigo da própria faculdade. Na época houve conflitos até com colegas de sala, que foi de onde partiu os comentários”.


“As pessoas são inaptas
para fazer boatos de coisas
boas, pois o verdadeiro
boato tem que ser capaz
de destruir com a pessoa-alvo.”
Cilene de Freitas

Da maneira em que a sociedade se relaciona nos dias atuais, os boatos ficam mais propensos de acontecer. O que facilita muito são as entradas virtuais que serve de matéria prima contra o próprio usuário destes meios. Mas não só de blogs, orkuts e chats se alimentam uma boa fofoca. Muitas vezes dentro da família temos aquela tia, que sempre arranja um jeito de recriar uma informação mal sucedida e espalhar com projeção global o novo “babado”.
Devemos checar antes de tomar aquilo como verdadeiro? Impossível. Na correria do dia-a-dia fica como está. “Já endossei opiniões de amigas e se a opinião for negativa já é o bastante para que eu nem procure esta pessoa, me desinteresso e ainda repasso a informação como quem alerta e não em tom de boato”- Sandra Portella,31 anos.
Saber filtrar os comentários é essencial para a boa convivência nos inúmeros contextos sociais aos quais estamos inseridos. Evitar deduzir e especular o alheio já é um bom começo para não ser envolvida em boatos e erradicar a terrível prática pela raiz.
Lina Costa

CULTURA – Um livro sobre mulheres importantes do Brasil

O texto sobre Anita Garibaldi que foi postado na última semana, foi escrito com a fundamental ajuda do livro “Dicionário Mulheres do Brasil” de Schuma Schumaher e Érico Vital Brazil, e publicação de Jorge Zahar.
Este livro serve como uma ótima fonte de pesquisa, além de ser uma leitura prazerosa, contando a história de muitas mulheres que contribuíram para a nossa sociedade chegar ao nível que se encontra atualmente. Nele estão citadas mulheres de todas as raças, e que viveram nos diferentes períodos da história do nosso país e, que por algum ato, deixaram suas marcas.
Para a realização e conclusão do livro, foram necessários três anos de pesquisa e a publicação aconteceu no ano 2000. Neste mesmo ano, começou o trabalho para a divulgação, sendo que várias cidades brasileiras foram visitadas.
Em cada reunião de mulheres, o livro era apresentado e temas como direitos das mulheres, a condição em que se encontram na sociedade eram discutidos. Além das discussões, aconteciam shows, poesia e atividades culturais. Com a ajuda de colaboradores, pesquisadores, editores, fotógrafos entre outros, o livro possui 568 páginas e cerca de 270 ilustrações. Vale a pena dar uma conferida, saber um pouco da participação e colaboração das mulheres para o desenvolvimento do Brasil. Também conhecer quem foram as heroínas da história. É cultura para todas as idades.
(Letícia Padilha- Jorge Martins)

quarta-feira, 2 de abril de 2008

CONVITE - Jornalistas e Estudantes



Churrasco do Dia do Jornalista - Ingressos à venda
Estão à venda na sede do Sindijor os convites para o tradicional Churrasco do Dia do Jornalista, que acontece no sábado, dia 5, a partir do meio dia, na sede do
Setcepar (Rua Almirante Gonçalves, 1966, Rebouças, em Curitiba). Até a véspera jornalistas sindicalizados em dia pagam R$ 10,00 e os demais R$ 15,00. No dia, o associado em dia paga R$ 13 e os demais R$ 18,00. Vale lembrar que há limite de dois convites por jornalista. Em redações em que houver grande número de interessados, representantes do Sindijor poderão ir pessoalmente fazer a venda dos convites. O tradicional Churrasco do Dia do Jornalista tem patrocínio do Setcepar, Bohemia e Itaipu Binacional e apoio Senac/Fecomércio.

ESTÉTICA – A origem da maquiagem

Foto: divulgação

Foi no antigo Egito com os faraós que a maquiagem foi se desenvolvendo. les usavam perucas coloridas para ter uma distinção social e maquilagem nos olhos como ponto de destaque fundamental. Cleópatra foi uma das representantes do ideal de beleza, carismática e poderosa, ela banhava-se em leite, cobrindo as faces com argila e maquilando seus olhos com pó. Na antiguidade a pele clara era uma obsessão, para conquistar ainda mais o branquinho, as romanas diluíam farinha de favas e miolo de pão no leite de jumenta. Algumas ainda utilizavam tinta azul nos seios e na testa para aparecer ainda mais translúcida.
O Kama Sutra, escrito entre os séculos I e IV, define a mulher ideal como, aquela que tem "pele fina, macia e clara como o lótus amarelo". Já no Japão, do século IX ao XII, a valorização da pele branca era regra geral e para obter a aparência extremamente clara as mulheres aplicavam um pó espesso e argiloso feito de farinha de arroz, chamado oshiroi. Depois passaram também a usar o beni, pasta feita do extrato de açafrão, para colorir as maçãs do rosto.
No final do século XVIII, o parlamento inglês recebeu a proposta de uma lei que tentava impor sobre as mulheres a mesma penalidade que era imposta para as bruxas. "Todas as mulheres que a partir deste ato tirarem vantagem, seduzirem ou atraírem ao matrimônio o uso de perfumes, pinturas, cosméticos, loções, dentes artificiais, cabelo falso, espartilhos de ferro, armação para saias, sapatos altos, ficam sujeitas à penalidade da lei que agora entra em vigor contra a bruxaria e contravenções semelhantes e que o casamento, se condenadas, seja anulado".
Foi Paris que firmou a moda e trouxe novamente a maquilagem. Como o batom que foi lançado pela primeira vez e embalado num tubo e vendido em cartucho. O sucesso foi tanto que em 1930 os estojos de batom dominam o mercado americano. Marilyn Monroe usava maquilagem clara e pintava lábios vermelhos intensos, atraindo e intensificando sua feminilidade.
A cada lançamento de uma nova coleção de cores e formas para as roupas, era criado também um tom de sombra específico para os olhos, uma nova cor de boca. Foi graças a essas invenções que hoje, nós mulheres podemos escolher qualquer tom de sombra, batom, perfumes, cabelos coloridos, compridos, curtos. Com o crescimento da moda que nos deu essa liberdade de podermos usar a maquiagem como um brilho a mais no nosso dia-dia.
Maju Guaita

POLÍTICA – Mulher vota em mulher?

Divulgação CMC Nely Almeida - PSDB

Desde o século XIX, quando através dos movimentos feministas a mulher definitivamente resolveu buscar seu espaço igualitário junto à sociedade, a política tornou-se um dos principais alvos. Hoje, há representantes no legislativo e executivo, contudo esse número ainda está muito aquém, se compararmos com outros seguimentos. Em Curitiba, por exemplo, onde segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas – IBGE, a população feminina, com quase 900 mil pessoas, representa mais de 50% dos habitantes e 51% do colégio eleitoral, dos 38 representantes do legislativo municipal, apenas cinco são mulheres. (Dona Lourdes do PSB, Julieta Reis do DEM, Nely Almeida do PSDB e as Petistas Professora Josete e Roseli Isidoro), não perfaz vinte por cento do número da casa. Com a mudança da legislação em 1996, trinta por cento da lista de candidatos dos partidos tem que ser preenchido por mulheres, mas mesmo assim poucas se arriscam em se lançar candidatas. Curitiba viveu uma experiência pitoresca, quando nos anos 1980, o desconhecido Partido Verde lançou a também desconhecida Eliria Tim como candidata a prefeitura da cidade. As aparições no programa eleitoral da candidata que se orgulhava por andar de ônibus e ser alguém do povo, foram motivos de chacota.
Mas se elas são a maioria porque isso não reflete na hora do voto? Mulher Vota em mulher?
Fizemos a pergunta para algumas mulheres: A jornalista Franciele Colpani disse que seu critério é analisar as propostas da candidata ."Se realmente tiver um bom programa eu voto,Caso contrário procuro outro", concluí. A zeladora Maristela Ferreira disse que não vota em por entender que as mulheres não se impõem diante dos homens quando o assunto é política.'Elas são muito fraca' afirma. Já para a estudante Francine Lopes, caso a candidata reúna os requisitos necessários vota sem qualquer problema.
(Antonio Nascimento)

terça-feira, 1 de abril de 2008

VOLEIBOL - Muitas conquistas fazem do voleibol um esporte muito praticado pelas mulheres


Credito: Divulgação

Aos poucos conquistou seu espaço, a modalidade já é considerada a segunda mais praticada no país do futebol. Os cadernos esportivos são todos os dias preenchidos com notícias do esporte, tanto na quadra quanto no areia. O crescimento do voleibol se deve a geração das meninas de ouro e da família Bernardinho.Hoje tem campeonatos bem competitivos com a Super Liga feminina de vôlei que em nenhum momento perde para liga européia e o dos Estados Unidos. O Brasil quando disputa uma competição internacional é considerada uma equipe forte e de chegada. Nossa seleção tem praticamente o mesmo respeito que a da equipe de futebol quando entra em quadra. De 1992 nas Olimpíadas de Barcelona até agora temos várias conquistas, como o Grand Prix, Copa do Mundo de vôlei, Pan americano e outras competições.Curitiba já teve uma grande equipe feminina de vôlei que ganhou duas super ligas, a Equipe Rexona Paraná. Foi um projeto do governo para criar um centro de excelência do voleibol. E o técnico Bernardinho foi chamado para comandar da comissão.
A equipe era muito boa, o Ginásio de esportes do Tarumã sempre ficava lotado com os jogos da equipe. A capital teve um grande fortalecimento no voleibol, os tradicionais clubes da cidade estavam cheios de meninas praticando e treinando para as competições para representar a cidade nas competições inter-estaduais e nacionais. Este acontecimento ajudou os grandes empresários a investirem no esporte. O volei tem até competição forte para os tradicionais jogos Universitários do país. A Universidade Tuiuti do Paraná tem uma equipe qualificada no voleibol feminino, e sagrou-se tricampeão de voleibol do estado. Isso aconteceu nos últimos Jogos Universitários, a instituição foi campeã de forma invicta. Esse ano a equipe já está treinando para os jogos universitários que acontecerão na cidade de Paranavaí nos dias 9 a 15 de maio.
EDUARDO SIQUEIRA

Política - Rei do rádio e do voto feminino

Foto: Rafael Pignataro

LCM: O rei do rádio
Na sexta legislatura como Deputado Estadual o radialista Luis Carlos Martins é um campeão de votos entre as mulheres. Cerca de 65 % do seu eleitorado é formado pelo público feminino. Líder de audiência no rádio AM nas manhãs curitibanas há mais de 30 anos, LCM se identifica com as donas de casa. Com sua voz mansa e compassada tem transmitido seu carisma de geração em geração. A estudante Cilane Gomes conta que era criança quando presenciava sua mãe ouvindo o programa. Hoje aos 34 anos, ele sempre que pode também ouve. Com um chavão que já virou marca registrada ‘Oi, oi, gente querida’ de segunda a sexta-feira, entre 08h00 e 12h00 horas, nos 550 da rádio Banda B, ele faz companhia ás mulheres enquanto essas realizam as atividades domésticas. Quando perguntado qual é o segredo de manter a liderança por tanto tempo assim, este paulista de Birigui, mas que há quase cinqüenta anos adotou o Paraná como sua terra, diz que não tem mistérios. ‘É o feijão com arroz bem temperado’ conta LCM que ainda faz a seguinte referência: ‘o rádio é montado em cima de um tripé: Emoção, alegria e informação’. Quanto à longevidade na política ele diz que a base de tudo é a honestidade com o eleitor. ‘Nunca prometo mais do que posso cumprir e também tenho endereço. Sou um radialista deputado, não um político radialista. Estou todas as manhãs aqui na rádio banda B. Ás pessoas sabe onde me achar ‘ relata Luiz, que têm na assistência social um de seus braços forte. ‘A função do deputado não é ficar ai dando cadeira de rodas, muletas, colchões de água e outras coisas. Mas se o político não der, quem vai ajudar essas pessoas? Nas últimas eleições á deputado em 2006, Martins somou mais de cinqüenta mil votos. Cerca de 35 mil foram de mulheres.

Outro radialista, Renato Gaúcho da Caiobá FM , também líder no segmento foi vereador e deputado eleito com uma expressiva parcela de votos feminino. Após ter seu nome envolvido em algumas denúncias onde não havia provas, Gaúcho resolver deixar a política e hoje só dedica-se ao rádio.

segunda-feira, 31 de março de 2008

TECNOLOGIA - Rede perigosa


Comparamos jóias e celulares e buscamos a opinião das mulheres sobre essas peças valiosas ou inválidas, supérfluas ou essenciais, complicadas ou práticas, mas esquecemos de citar o ícone símbolo da tecnologia, o computador, mais precisamente sua direta relação com a internet.
Ela é a rede de um mundo além do infinito das informações, nela está tudo o que vivemos e, para alguns, a segunda vida. As Lan-Houses de Curitiba estão cheias de garotos que em frente àquelas máquinas, tomam o papel de um personagem diferente do que vive no mundo real. Mas não são somente eles que estão “se internando”, como diriam alguns na cidade. As mulheres estão assumindo o papel de internautas e começam a fazer da Net um meio de comunicação prático, eficiente e valioso.
Estão usando o ciberespaço mais como apoio para amizade, romance ou como mecanismo de reclamação dos seus parceiros.
Um estudo da Content Intelligent mostra que, assim como no espelho, as mulheres são bastante propensas a passar mais tempo na frente de uma tela de computador que os homens. Porém o uso excessivo da ferramenta pode ser muito prejudicial para a saúde e a vida das pessoas e este é um recado unissex:
Diane Wieland, diretora do Programa de Enfermagem da Universidade La Salle, nos Estados Unidos, decidiu investigar como o excesso de uso da rede tem afetado os internautas, analisando estudos comportamentais conduzidos desde 1997 para tentar traçar um panorama de dependência. Os relacionamentos viciosos prejudicam muitas pessoas no sentido de falsas intimidades, são muitas pessoas encontrando fuga em lugares que só existem no mundo virtual, mas que não podem ser trazidos para a realidade. “Os indivíduos também demonstram incapacidade de controlar o uso e podem apresentar fatores como depressão, alcoolismo ou transtorno obsessivo-compulsivo”, concluiu.

(Esta editoria pede desculpas pela falha na postagem do dia 29 de março, aniversário de nossa cidade. Você terá novas notícias sobre tecnologia no próximo sábado).

Marlon Cesar e Caio de Alencar

Pesquisa encerrada

Nossa primeira pesquisa foi encerrada dia 31/03/08. Veja o resultado:

Que presente você prefere ganhar?

1 - Uma jóia valiosa? - 8 votos (40%)
2 - Um aparelho de alta tecnologia? - 7 votos (35%)
3 - Flores? - 8 (40%)
4 - Uma roupa de grife? - 4 (20%)

Total = 20 votantes.

Uma nova pesquisa já está no ar. Veja ao seu lado direito. Vote. Participe.

Osni Gomes - Editor

POLÍTICA – Preconceito no século XXI


Parece uma velha e surrada questão. Mas quando vamos analisar mais detalhadamente podemos concluir que o tema é tão atual quanto já discutiram nossos pais e avós: O preconceito contra a mulher na política.
Hoje há, de certa forma, uma maior tolerância, mas ainda sentimos alguns a torcerem o nariz quando se fala na participação feminina. Tanto que nem as cotas mínimas dos partidos são devidamente preenchidas nas legendas eleitorais.
E você? Votaria numa mulher para presidente da República? Aqui cabe um questionamento, quando vemos mulheres como Gleisi Hoffmann anunciando a sua candidatura pelo PT à prefeitura de Curitiba ou então os acenos que aparecem com o nome de Dilma Roussef para a sucessão presidencial de Lula.
A Folha de S. Paulo publicou recentemente uma entrevista com a senadora Roseana Sarney, que por muito pouco não concorreu à presidência. A senadora vem de uma família política e tradicional. O pai dela é José Sarney, o ex-presidente que cumpriu o mandato de Tancredo Neves, morto antes de consolidar a sua posse.
A matéria falava que Roseana não sofreu preconceito quando começou a participar da política. Mas ela admitiu que sentiu que o processo de discriminação da mulher realmente existe. Na época que disputou o governo do Maranhão, em 1994, a pesquisa revelou que ela tinha 8% de rejeição pelo simples fato de ser mulher. As próprias maranhenses é que fizeram essa estatística, dizendo que não votariam em Rosane pela sua condição de mulher. Mas ela ganhou duas eleições depois.
Mas se medirmos com mais critério, vamos concluir que mulheres como Yeda Crusius, como ministra e no governo do Rio Grande do Sul foi sempre muito bem aceita. Um pouco mais adiante vemos Marta Suplicy e Luiza Erundina em São Paulo, Roseana no Maranhão e tantas outras mulheres que se sobressaem na política nacional.
O que comentar, por exemplo, do conhecimento e poder de argumentação da ex-senadora Heloisa Helena? E foi pensando nesta condição que estamos abrindo esta semana neste blog uma discussão com nossos leitores para saber: Você votaria numa mulher para presidente do Brasil? Veja as opções em nossa pesquisa. Vamos testar nosso público para ele opinar se há ou não preconceito quanto a participação da mulher na política brasileira. (Osni Gomes)

OMBUSMAN - Parabéns

Esta semana as postagens foram especialmente boas. Temas muito atuais, relevantes, porém, eu me pergunto se mulher só gosta de ler coisas sobre mulheres. Creio que não. Seria interessante abordar outros temas, factuais, importantes, mas que não tratem exclusivamente delas. Não é preciso ser mulher para participar do universo feminino.

Três coisas mereceram minha atenção especial.
1. "Sexo frágil" é uma maneira muito pejorativa de se referir às mulheres;
2. Menopausa não é considerada uma doença. É uma fase inevitável na vida de todas;
3. Muito feio a parcialidade demonstrada para a equipe do Coritiba na matéria sobre esporte. Ninguém precisa saber para que time o autor torce!

Gostaria de ressaltar o prazer que eu sinto em ter materiais para analisar. Mais ainda, de estar em uma equipe integrada e responsável.

Parabéns galera. (Jaquelyne Carlin)

sexta-feira, 28 de março de 2008

COMPORTAMENTO - O dom da feminilidade


Toda mulher já nasce Maria com o dom e o privilégio de conceber a vida. Armada com um amor incondicional é capaz de sacrifícios inimagináveis para atender e garantir todo e qualquer anseio de quem ama. Trilhando um árduo caminho, buscamos sempre o melhor do mundo para direcionar e encaminhar o futuro de nossa família. Qual mulher não tem dentro de si uma Madre Teresa de Caucutá que destinou sua vida a cuidar do próximo, e cheia de nobres intenções se entregou de alma e coração aos necessitados.
Diariamente surge uma Joana D’arc que luta e lidera exércitos em busca de um mundo melhor e mais digno.
Na guerra pela igualdade dos direitos femininos foram derrubadas barreiras, vencidos preconceitos, então a mulher passou a conquistar seu espaço, fez história, mudou opiniões e hoje é parte indispensável no crescimento social e político da humanidade.
Passamos a ser o centro das atenções, freqüentamos a faculdade, ocupamos parte significativa do mercado de trabalho, somos dona de uma força indescritível, e uma capacidade imensa de vencer obstáculos. E olha que para conquistar espaço em uma sociedade machista não é nada fácil.
Por esses e vários outros motivos não devemos deixar de lado nossa feminilidade. O sexo frágil tem a liberdade de poder ser mulher, mãe, amante, amiga, trabalhadora, tudo ao mesmo tempo. Não se deixe banalizar e indiferente da raça ou religião, permita ser paparicada, respeitada, admirada e principalmente amada.Porém aprenda a se amar, cuide-se não deixe que o tempo oculte o melhor que tem a oferecer.Então, não vamos esquecer jamais do que realmente representamos, temos sensibilidade de sobra para que com autoconfiança sejamos únicas.Ana Maria Sampaio

SAÚDE - Mulheres são mais sujinhas que os homens



Comer na mesa de trabalho ajuda e muito na conquista desse título.
Ao contrário do que muitas pessoas pensam, as mulheres são mais sujinhas que os homens.
Calma feministas de plantão, deixa eu me explicar direito, esse dado foi divulgado há pouco tempo através de um estudo realizado na Universidade de Arizona.
Para chegar a essa conclusão, que diga-se de passagem afeta nossa noção de superioridade sobre os homens, estudiosos focaram suas pesquisas somente em ambiente de trabalho, para isso foram visitados mais de cem escritórios em Nova York, Oregon, São Francisco e Washington.
Nesses locais as mesas de trabalhos femininas chamaram á atenção dos cientistas. Primeiro porque reúnem quatrocentas, isso minhas amigas quatrocentas vezes mais bactérias que os assentos sanitários dos locais de trabalho. E segundo porque analisando os objetos sobre as mesas onde trabalham, como telefones, grampeadores, teclados e itens pessoais foi constatado que nós reunimos de três a quatro vezes mais germes que uma mesa onde fica um ser de sexo oposto.
Parece inacreditável mais é verdade. Mas você deve estar se perguntando o porquê dessa constatação? Segundo o cientista Charles Gerba, líder da pesquisa alguns dos motivos são: que as mulheres utilizam mais cosméticos e loções, o que para Gerba são agentes potencializadores de microorganismos. Além disso mulheres possuem maior contato com crianças e costumam se alimentar sobre a mesa de trabalho.
Esse último dado mereceu uma atenção especial dos pesquisadores, pois indo mais a fundo na questão, observou-se que 75% das profissionais têm desejos e algumas até necessidade de se alimentar ali mesmo onde desempenha suas atividades.
Para conseguir manter a mesa de trabalho limpa e tentar diminuir esse número assustador rsss, Gerba dá um conselho “ Uma medida que auxilia bastante nessa redução é utilizar desinfetante nas mãos e limpar todos os dias as mesas de trabalho, essas medidas diminuem 25% o número de germes”.
Andressa Urbick

quinta-feira, 27 de março de 2008

CULTURA – Por trás da história, há sempre uma grande mulher Parte II

Ana Maria de Jesus Ribeiro, muito mais conhecida por Anita Garibaldi, é uma verdadeira heroína brasileira. Nascida em Laguna, Santa Catarina, no dia 30 de agosto de 1821, Anita, apesar de ser uma mulher de muita atitude e a frente do seu tempo, casou-se cedo, aos 14 anos com Manuel Duarte de Aguiar, que era um homem de origem humilde, trabalhava de sapateiro. O casamento durou apenas três anos, quando Manuel decidiu abandonar a esposa e se alistar no exército imperial.
Ana Maria conheceu então aquele que seria o seu eterno amor, e quem ela acompanharia até o fim de sua vida: o guerrilheiro italiano Giuseppe Garibaldi. A ocasiao não poderia ser pior, pois eles se conheceram em meio a Revolução Farroupilha, também conhecida como Guerra dos Farrapos. Giuseppe servia a República Rio-Grandense e participava da tomada de Laguna. Anita decidiu partir com o marido para os campos de batalha e fez várias demonstrações de bravura. Na Batalha dos Curitibanos, por exemplo, ela foi prisioneira mas conseguiu convencer o comandante do exército imperial a deixá-la procurar o suposto cadáver de Giuseppe. Num ato de coragem, Anita fugiu a cavalo, atravessou a nado o Rio Pelotas com o seu cavalo, chegou ao Rio Grande do Sul e encontrou o marido em Vacaria.
Em 1841, já com um filho, Anita e Giuseppe seguiram para Montevidéu no Uruguai, onde finalmente oficializaram a uniao, e Anita passou a se chamar Anita Garibaldi. Tiveram mais três filhos no Uruguai. Em 1847, a família seguiu para a Itália, onde Anita engravidou do quinto filho, mas nao resistiu a uma febre e faleceu grávida de seis meses, no dia 4 de agosto de 1849.
Uma mulher de coragem, dedicação, companheira, fiel, não poderia passar pela história sem deixar marcas. Em sua homenagem, existem dois municípios em Santa Catarina: Anita Garibaldi e Anitápolis. Em Porto Alegre existe uma rua com o seu nome e em Salvador e Curitiba existem avenidas batizadas de Anita Garibaldi.
(Letícia Padilha- Jorge Martins)

quarta-feira, 26 de março de 2008

POLÍTICA - Entrevista com Tereza da Latinha

FOTO: CÂMARA MUNICIPAL C. LARGO

De catadora de papel quase desconhecida, à vereadora mais votada do município de Campo Largo na região metropolitana de Curitiba. Esta é a meteórica trajetória da senhora Tereza de Jesus de Moraes , 55 anos, mais conhecida como ‘Tereza da Latinha’, que até o ano de 2004, ganhava a vida catando latinhas nas ruas da cidade onda mora. Ela foi descoberta por algumas pessoas que perceberam o jeito carismático com que falava com os outros, sempre em forma de rima. Então fizeram o convite, para que ela fosse candidata pelo PPS. O inicio da campanha foi motivo de chacota, mas quando terminou a apuração ela entrava para a história como a vereadora mais votada em todos os tempos do município, totalizando 2761 votos.
Á reportagem do Webella marcou um encontro com a senhora Tereza e foi até o bairro Águas Claras em Campo Largo, onde na frente de um supermercado dentro do carro da reportagem, usando chinelos de dedo, ela concedeu a seguinte entrevista:

Webella: Dona Tereza a senhora está vivendo seu quarto ano de mandato legislativo. O que mudou na sua vida?

Tereza: Eu fiquei famosa não esperava essa fama. Pra mim foi gratificante demais, saber que sou muito popular. Cada dia que saio de casa encontro gente nova, que quer saber uma explicação de que é ser um vereador. Eu digo, vereador ta pra legislar, pra ajudar o povo, nem que seja pra dizer não, mas dar atenção. Eu não tenho negociação, só atendo o povo ajudo a nação.

Webella: Nesses três anos o que a senhora fez com o dinheiro que ganhou como vereadora?

Tereza: Eu fiz um empréstimo na caixa e comprei uma casa, pago R$ 980,00, também fiz um empréstimo pra fazer o tratamento do meu marido onde pago mais 700 raias. Me sobra 1500 por mês. Inclusive o primeiro pagamento que recebi não chegou a dois mil e eu já estava devendo sete, achei que era só comprar as coisas e levar a nota que a câmara pagava e não é assim que funciona. Eu devia ter perguntado, mas não perguntei.

Webella: A senhora está estudando?

Tereza: To eu fiz de primeira a quarta, agora estou fazendo de quinta à oitava. Até junho quero estudar depois vou fazer a campanha. Mas depois quero fazer faculdade. Administrativo.

Webella: Dizem por aí que quando uma pessoa entra na política acaba ganhando muito dinheiro de uma forma ilícita. Nesses primeiros anos de mandato a senhora já arrumou algum dinheiro que não viesse do seu salário?

Tereza: Não, graças a Deus não. Que nem eu disse o meu salário é o povo que está me dando. Inclusive o prefeito me chamou lá em cima e me disse: “você está batendo muito, o que a gente poderia fazer pra resolver isso? Eu disse só quero que você atenda o povo. Daí ele me arrumou um emprego pra minha filha. Daí quando teve uma votação ele me ligou e me disse você deve uma pedra pra mim votar com o governo> daí eu votei contra e eles mandaram minha filha embora”.

Webella:A senhora tem parente empregado em seu gabinete?

Tereza: Vou ser sincera. Eu tenho sim. Não gosto de corrupção, mas o meu marido ta lá. Com certeza. Ele atende o meu povo.

Webella: E quanto ele ganha por mês?

Tereza: Mil reais pra atender o meu povo. Mas ele trabalha.

Webella: Tem mais alguém?

Tereza: Tenho sim, o Julio Torres. Esse é o meu ouro que tenho lá. Quando ninguém acreditava em mim ele acreditou. Ele é meu anjo. Cada projeto que eu quero ele arruma pra mim.

Webella: E durante o mandato a senhora conseguiu aprovar muitos projetos?

Tereza: Tenho sim, ta aqui nesse papel, você pode ler pra mim?

Webella: Aqui tem o programa de audiência pública de obras.

Tereza: Esse ai o prefeito vetou e agora ele colocou só pra dizer que foi ele. Então é triste saber que a gente tem inteligência e eles vetam e depois colocam só pra dizer que a idéia é deles. Eles estão usando minha inteligência.

Webella: Caso a senhora não se reeleja. Conseguiu fazer um pé de meia?

Tereza: Vou ser bem sincera. O dinheiro que ganho é pra ajudar o povo. Só tenho dois destinos: A eleição da ganhação e da perdição. Se caso ganhar vou comprar um carro pro povo carregar. Por que hoje continuo andando de ônibus sem um vintém no bolso. Agora se perder, minha vida vou continuar.

Webella: E as latinhas de vez em quando a senhora ainda cata?

Tereza:Claro! De segunda a sexta legislar sábado e domingo trabalhar.

Hoje minha vida mudou ando limpinha, só não consigo usar sapato. Só uso na segunda-feira na sessão da câmara, por que lá não posso ficar sem. (Antônio Nascimento)

SAÚDE - Um fenômeno natural chamado Menopausa

Divulgação

Quando chega aos 40 anos, uma das maiores preocupações das mulheres, é em relação à menopausa. Sua principal característica é a parada da menstruação, ou seja, é quando os ovários decidem parar de funcionar. A perda do desejo sexual, suor excessivo e calorões repentinos são alguns sintomas desse mal.
A mulher possui um hormônio chamado estrogênio, ele é o responsável pelo aparecimento dos sinais sexuais ainda na adolescência e as acompanha até a fase adulta. Com a chegada da menopausa, ele acaba perdendo força causando ondas de calor, diminuição na hora de distribuir a gordura, fazendo com que esta se localize inteiramente na barriga. Com seu aumento ele acaba alterando a irritabilidade e a depressão nas mulheres.
A menopausa é um fenômeno natural na vida da mulher, todos sabem que cedo ou tarde enfrentarão essa doença. A idade inicial para seu aparecimento é aos 40, mas nada impede que ele se manifeste após os 45, 50 anos. O seu tratamento é fundamental para melhorar a qualidade de vida da mulher. Ele acaba dando mais auto-estima na vida sexual, melhora as condições cardiovasculares e evita também a osteoporose, que acaba surgindo quando o hormônio não consegue mais produzir o cálcio necessário para os ossos. Porém, como qualquer outro procedimento ele acaba por ter algumas desvantagens como: volta da menstruação em algumas mulheres, possibilidade de Câncer de Mama. Cristina Guaita tem 50 anos e começou a sentir os sintomas há exatos dois anos, para ela o tratamento é fundamental. “Constatei que estava na menopausa, quando fiz o exame de hormônios. Meu tratamento é feito com adesivo que repõe o hormônio que não tenho mais.. Meu único incomodo é com o calorão que tenho diariamente, fora isso minha vida continua a mesma”.
O funcionamento hormonal começa a modificar alguns anos antes da menopausa. Algumas mulheres sentem diversas perturbações, tais como fadiga, afrontamentos, suores noturnos, nervosismo, dores de cabeça, sensação de tensão nos seios, palpitações cardíacas, irritabilidade, diminuição do desejo sexual, secura e comichão vaginal, dor durante as relações sexuais, vontade freqüente de urinar. Cada fase da menopausa tem sua explicação, como a Pré-Menopausa que ocorre alguns anos antes da última menstruação, a Peri-Menopausa é período compreendido entre a última menstruação e o decurso de 12 meses sem menstruações e a Pós-Menopausa, que é todo o período que se segue à última menstruação.
Para ter uma menopausa tranqüila, médicos dão algumas dicas:
* Tenha uma alimentação equilibrada e não demasiado rica;
* Renuncie aos excessos de tabaco e do álcool;
* Durma o suficiente;
* Pratique exercícios físicos. Cuide de si como merece.

Maju Guaita

terça-feira, 25 de março de 2008

Mulheres conquistando todos os espaços

foto : Luiz Carlos Betemheuser Júnior

Em vários lugares vemos muitas mulheres trabalhando. Na política, polícia ou jornalismo entre milhares de profissões
As mulheres exercem o jornalismo esportivo com qualidade nos diversos meios de comunicação. Um dos esportes aonde elas têm um grande crescimento é no futebol, até então faixa de predominância masculina. Mulher ir para aos estádios há alguns anos atrás era um fato impossível. Com o tempo o machismo foi deixado de lado e hoje elas embelezam cada vez mais os estádios de futebol deixando as arquibancadas mais lindas. Muitos clubes investiram pesado na linha feminina de materiais esportivos para um bom faturamento. Os departamentos marketing sabem que ali é um pedaço da receita de investimento do clube. A equipe do Internacional de Porto Alegre vendo que o público feminino seria um grande aliado, no Dia Internacional da Mulher no dia 8 de março deu acesso livre à torcida feminina. O resultado foi de arquibancadas cheias. O publico total chegou a 46.472 pessoas. O Internacional acabou vencendo a equipe do Brasil de Pelotas por 2 a 0.
Mas no Paraná nenhuma equipe de futebol fez algo semelhante para homenagear as belas mulheres do estado. Aqui elas não estão contentes em somente fazer parte da torcida ou noticiar os esportes. Elas estão querendo se associar aos clubes participar de alguma maneira. E tem mulher lançado livro com o grupo das 10 atleticanas. Trata-se de “Dez atleticanas e uma fanática”.
Está certo que o assunto não é de um grande interesse porque para todo o esportista que se preze sabe que a maior torcida do estado indiscutivelmente é da Coritiba sem nenhuma margem de dúvida. Mas o livro tem seus méritos, pois Antônia Schwinden fez um lançamento independentemente. A obra relata a história de 10 atleticanas que diferentes faixas etárias que narram com muito amor á trajetória do clube furacão e qual o motivo que levaram a torcer pelo atlético. Existem histórias dos principais hábitos para torcer, fatos marcantes, superstições para ajudar o time a vencer.
Outro lugar em que vemos algumas mulheres se aventurando é na arbitragem. É também uma atividade contestada pelos homens. Neste campo existe certo preconceito com elas, mas com o tempo elas irão mostrar o potencial e o preconceito será esquecido.
O único lugar que ainda não existe nenhuma mulher em atividade é como técnica de futebol. Este é mais um desafio a ser superado por elas. Quem sabe um dia veremos alguma mulher no comando da seleção brasileira.
Eduardo Siqueira

segunda-feira, 24 de março de 2008

POLÍTICA - A mãe do PAC


A ministra Dilma Roussef é uma espécie de mãe do PAC. É ela quem cuida, cobra e vê o andamento das obras. Assim disse o presidente Lula e a ministra não titubeou:
“Eu acho que é um título que simboliza a coordenação. Para o bem ou para o mal, eu sou a mãe do PAC. Tanto nos momentos difíceis, quando diziam que era uma pirotecnia, quanto nos momentos bons, quando as obras saem e você consegue resolver, é responsabilidade da coordenação", deduziu.
Se ela for mesmo a candidata do presidente Lula para a sucessão presidencial, vamos mudar da água para o vinho. Se Lula, como grande parte da Nação reclama, é um homem sem preparo cultural, a nossa ministra é seu oposto. Ela carrega o título de mestrado em teoria econômica e doutorado em economia monetária e financeira, além de ter um passado de militância política dos mais ousados, pois foi vítima da ditadura militar, tida e havida como uma “comunista” daquela época.
Mas está nas mãos dessa maezona do PAC oferecer ao estado do Paraná benefícios que podem chegar a 35 municípios. Só na Região Metropolitana de Curitiba serão dezoito. Entre outras coisas o PAC promete obras de recuperação ambiental e de bacias hidrográficas críticas, minorar os problemas de mortalidade infantil elevada, atendimento à população de baixa renda e a complementação de obras já iniciadas. Isso pode significar também mais empregos e melhor segurança para todos.
Mulheres como Dilma Roussef é que vêm mudando o conceito feminino. Mesmo que ela seja contestada politicamente, e isso é uma questão meramente partidária e eleitoral, sem dúvida temos que reconhecer a sua capacidade como administradora e ministra de estado. Ela pode até não ser a candidata que alguns almejam como substituta de Lula, mas não podemos negar a sua força feminina e a revelação que vem se acentuando na sua atuação executiva nacional. Depois de passar pelo Ministério das Minas e Energia foi ela quem segurou a barra dos desmandos de José Dirceu na Casa Civil da presidência da República. (Osni Gomes)

domingo, 23 de março de 2008

Ombusman - Opinião

Esta semana alguns assuntos interessantes foram abordados.
A matéria sobre a Depressão Pós-Parto foi bem relevante, mas deveria abordar o perfil das vítimas desse mal.
Relacionar saúde com estética foi um ótima idéia.
Faltou exemplos de lugares populares onde o Tênis é praticado. O esporte, em sua versão feminina pode não ter muito reconhecimento no Brasi, mas abordar o cenário mundial e estabelecer um contraste em eles é importante.
A matéria sobre o "Diálogos Universitários" deveria ter explorado mais a opinião dos estudantes, abordar a palestra de Nelson Motta de uma maneira prática. Não foi o bastante descrever o evento.
Foi muito interessante a atitude do pessoal que escreve sobre tecnologia. Sair às ruas e levantar um tema para a discussão enriqueceu o blog mas a leitura da matéria, como um todo, não está harmônica. Este é um ótimo exemplo à ser seguido pelos demais colunistas.

Qual é a sua opinião? Encontrou alguns erros ou quer acrescentar algo?
Nos ajude a enriquecer este blog com o seu comentário e esta coluna com a sua crítica.

Até domingo que vem!

sábado, 22 de março de 2008

TECNOLOGIA - Webella quer saber o que você mulher pensa

Baseado na pesquisa da empresa norte-americana Oxygen Network, o blog Webella quer saber se as mulheres brasileiras também desejam aparelhos com alta tecnologia ou uma jóia.
Na cidade de Curitiba o que não falta são as mulheres, não é? Andando pelas ruas ou um shopping da capital paranaense, é possível observá-las de diferentes formas, ou seja, pelos jeitos de vestir, agir e falar de cada uma delas. Ainda pensando sobre a pesquisa norte-americana, que revelou uma preferência das mulheres por aparelhos tecnológicos a uma jóia, foi que o blog Webella dirigiu-se as ruas de Curitiba para saber as preferências das brasileiras.
Nathália Campos de 22 anos, estudante de medicina da (UFPR) Universidade Federal do Paraná foi nossa primeira entrevistada, e revela que já brigou com o namorado por causa de um celular.
“É até embaraçoso dizer isso, mas eu queria um celular que achei muito bonito da Motorola, e o pior, sempre dizia para ele sobre esse modelo indiretamente nas nossas conversas. Então, Chegou o dia do meu aniversário e ele me deu um colar, quase joguei na cara dele”, sobre os efeitos do riso, relata que depois não tirou o colar.
“Depois eu gostei tanto do colar que fiquei chateada comigo mesma, tanto que hoje eu estou usando ele”, finaliza.
Já a instrutora de auto-escola Rebecca Gander, de 29 anos, diz que prefere ganhar uma jóia ou um vestido elegante, do que um aparelho de alta tecnologia.
“Eu nunca gostei de mexer nesse tipo de coisa, eu tenho um celular porque meu marido sempre fica me ligando e perguntando onde estou, dá até vontade de jogar esse negócio na parede, eu prefiro ganhar uma bolsa ou um vestido bonito e elegante.”, comenta.
Outra mulher que concorda com Rebecca, é Maria Soares Linger de 48 anos, para ela os aparelhos de alta tecnologia não tem tanta importância.
“Eu nem posso mais ouvir falar dessa televisão digital, meu marido quer comprar uma dessas, por isso estou aqui no shopping. Ao invés de passearmos nesse feriado, ele preferiu pesquisar preços desses aparelhos, e tudo isso pra quê? Nossa televisão é nova e grande, não está com defeito, mas já quer trocá-la.”, desabafa.
Quando questionada sobre o que gostaria de ganhar, senhora Linger não teve dúvidas.
“Entre essas duas opções é claro que eu prefiro uma jóia.”, revela.
Mas o mais engraçado, foi que ao terminar a entrevista, ela retira da bolsa um celular, avaliado mais ou menos em R$ 2.000 no mercado, e pelo jeito conversava com o marido.
No geral das entrevistas, as preferências das mulheres brasileiras aqui de Curitiba ainda não estão de acordo com a pesquisa norte-americana.
Mas continuamos a perguntar, o que você mulher prefere? Abrimos uma enquete no blog sobre o assunto, vote e comente aqui.

Caio de Alencar Coelho e Marlon César

quinta-feira, 20 de março de 2008

CULTURA - Um passeio pela música com Nelson Motta


“Poucas vezes falei para tanta gente assim”. Foi desta maneira que o jornalista, compositor, cantor, escritor e produtor musical Nelson Motta se dirigiu aos acadêmicos e convidados da Universidade Tuiuti do Paraná para falar sobre música na 23ª Edição do Diálogos Universitários de 2008, evento criado pela Souza Cruz e que terá mais 19 edições durante o ano. Nelson Motta faz um passeio pela história da música iniciando com a bossa nova (1950), passando pela Música Popular Brasileira (1960), Tropicália, fins dos anos de 1960, Rock (1980), sertaneja (1990) e, atualmente, o samba reggae de Carlinhos Brown. "A bossa nova começou com o João Gilberto com a música `Chega de saudade`, quando eu tinha apenas 14 anos. Era um estado de espírito", diz. O Brasil vivia um período de liberdade sem igual, passava por grandes transformações e o brasileiro acreditava muito no futuro. Era a música da juventude, diz Motta. Segundo ele, a bossa nova virou moda. Tudo era bossa nova. As pessoas a banalizaram e por causa disso acabou. “Carro bossa-nova, prédio bossa-nova e até na polí­tica a UDN se intitulava bossa nova. A partir daí­ a bossa nova estava liquidada. Acabou em 1962”, revela.Com o fim da bossa nova inicia-se no Brasil a Música Popular Brasileira e o estilo MPB, que era integrada ao movimento polí­tico brasileiro, tendo como precursores Chico Buarque, Edu Lobo e Toquinho. As canções falavam de favelas, eram bastante populistas, pois o paí­s fervilhava com protestos e passeatas por todo canto. “Os anos de 1966, 1967, 1968 foram esplendorosos para a MPB. Reforçou a auto-estima do povo brasileiro. Os festivais eram bastante politizados e fazer oposição ao regime ditatorial dava prestígio para os cantores”, confessa. Os verdadeiros festivais, aqueles de protesto, acabaram em 1968, depois que a canção “Sabiá” de Chico Buarque, perdeu para “Disparada”, cantada por Jair Rodrigues, disse Motta.No final da década de 1960 surge a Tropicália, com Gilberto Gil e Caetano Veloso. Em 1970 as músicas bregas e cafonas com Odair José e Nelson Ned e a partir de 1980, já no governo Sarney, surge, então, o rock brasileiro. Em 1990, o pior momento, segundo Motta, com as músicas sertanejas no governo Collor. Depois, o Axé com Daniela Mercury e, atualmente, o samba reggae de Carlinhos Brown, que Nelson Motta aprecia. O jornalista encerra sua palestra respondendo as perguntas dos presentes dizendo que música que é música tem que ser boa. É uma expressão de liberdade. Não tem que ser política.

(Letícia Padilha - Jorge Martins)

quarta-feira, 19 de março de 2008

SAÚDE - Mães em fúria

Foto: Divulgação
A depressão pós-parto pode ser ou não uma doença psiquiátrica. Desde que o mundo é mundo a maternidade é considerada o momento mais lindo da vida de uma mulher. A mídia e a igreja, cada uma da sua forma veicula a maternidade como algo sagrado, mágico e inigualável.
Mas infelizmente para muitas mulheres ser mãe pode não ser tão bom assim. Na verdade é algo mais complexo, já que, a maioria dessas pessoas planejo a gravidez e gostava da idéia de estar grávida.
O que acontece com essas mulheres, para rejeitarem seus filhos com que tanto sonhavam? A resposta é simples e cada vez mais comum , segundo a ginecologista Ana Luiza Ferreira
“Isso se chama depressão pós parto, que pode ser definida como um risco psiquiátrico pelo qual a mulher jamais passou. A depressão afasta a mãe do recém-nascido e pode gerar reflexos no futuro da criança, através de sua relação social com terceiros”.
Cientificamente a explicação está nos hormônios, ou melhor, na grande variação nos níveis de progesterona e estrogênio unido a uma alteração no metabolismo das catecolaminas causando alteração no humor, podendo contribuir para o quadro depressivo.
A identificação de uma mãe com depressão pós parto não é tão simples. Na semana, referente ao nascimento do bebê é normal que as mães apresentem crises de choro, fadiga, humor deprimido, irritabilidade, ansiedade, confusão e lapsos curtos de memória. As reações emocionais ocorridas no período de pós-parto se resolvem naturalmente em até seis meses, sendo que a melhor forma de cuidar da paciente é deixa que ela expresse seus sentimentos em palavras, enfatizando a normalidade da sua alteração.
“Entre 50% a 80% das mulheres que acabam de parir esses sintomas são comuns, porém deve-se prestar atenção na forma e no tempo com que esses sintomas se manifestam” afirma Ana Luiza.
Para muitas mamães esse período de tristeza absoluta tende a ser estendido,com reações emocionais psicóticas e nesses casos o acompanhamento psiquiátrico é determinante para a saúde física e metal da paciente. Os casos mais graves de depressão pós parto são conhecidos como Psicose Puerperal e Síndrome Depressiva Crônica.
A Psicose Puerperal aparece nos três primeiros meses pós-parto e se caracterizam por episódios psicóticos. Nesses casos a internação hospitalar e o tratamento com terapeutas é indispensável” conta Ana.
A Síndrome Depressiva Crônica é um episódio depressivo e não psicótico,que acarreta humor instável, distúrbio do sono, modificação do apetite, fadiga, culpa excessiva e pensamentos suicidas. O tratamento deve ser psicológico e medicamentoso, pois os sintomas podem durar até um ano.
Para Ana Luiza a Psicose Puerperal é digna de atenção “Existem casos de mães que matam filhos depois do parto, mas as psicoses puerperais são muito raras, acontecem dois casos a cada mil nascimentos”.Apesar do tratamento demorado, todo o tipo de depressão pós parto pode ser superado, desde que o papel da família da paciente seja exemplar, permanecendo ao lado e dando muito carinho a essas mamães, que logo logo voltarão a sentir os prazeres da maternidade

Perguntas que você pode fazer ao seu médico
1-Meu filho nasceu há poucos dias, estou me sentindo muito triste e incapaz de cuidar dele, isto é normal?
2-Por que a mulher tem um risco maior de crises depressivas no pós-parto?
3-Qual o período para determinar uma depressão pós-parto?
4-Qual a causa da depressão pós-parto?
5-Quando a depressão pós-parto deve ser tratada com medicamentos?

Andressa Urbick

SAÚDE - Cuidar das unhas é fundamental

Foto: Ana Carolina Jonson


Ao contrário do que muitos podem pensar as unhas não são apenas um complemento do corpo que tem como principal função proteger as pontas dos dedos ou aumentar a capacidade das mãos para pegar pequenos objetos. Além do aspecto estético, que também faz parte dos cuidados com a beleza e higiene, o que poucas pessoas sabem é que as unhas podem revelar o seu estado de saúde.
Composta basicamente de queratina, seu enfraquecimento pode estar envolvido com o hábito de fazer unhas todas às semanas, pois o
removedor de esmalte resseca as unhas, deixando-as quebradiças, sem brilho e com manchas brancas em sua superfície.
Porém segundo a dermatologista, Juliana Cahali, manter as mãos sempre bem feitas e com esmalte pode ressecar as unhas. "O ideal seria não pintar todas as semanas e sempre hidratar bem as mãos e as unhas", ensina. Para quem não consegue manter as pontas dos dedos sem esmalte, uma dica é retirar o esmalte dois dias antes de se refazer as unhas e hidratar bem as mãos. A estudante Ana Carolina Jonson faz as unhas de 15 em 15 dias, “para cuidar delas basicamente não faço nada, além de ir sempre a manicure. Eu lavo louça, limpo a casa e minhas unhas não estragam. Diferente de algumas amigas que acabam estragando alguns dias depois”.
A saúde revelada pelas unhas esta presente visivelmente como, por exemplo, os pontos esbranquiçados que são comuns e é resultado de traumatismo na matriz, ou seja, sua base. Já as hemorragias são causadas pelas rupturas de vasos que podem causar linhas verticais ou manchas arroxeadas. Um dos problemas mais freqüentes é a micose, que pode ser transmitida pelo uso de material não esterilizado das manicures.
Existe alguns cuidados necessários com as unhas como: evitar lixar a parte de cima da unha porque isso destrói a queratina; Cigarros e certos produtos químicos, como até mesmo esmaltes e removedores, podem ser prejudiciais às suas unhas e torná-las amareladas; Mantenha as unhas limpas, pois embaixo delas podem se depositar bactérias; As unhas devem ser cortadas retas na frente e ligeiramente arredondadas nas laterais para manter seu vigor máximo e evitar que encravem; Não roa as unhas. O hábito cria um terreno úmido e favorece infecções. Pode favorecer o crescimento irregular da unha.
Para quem tem unhas fracas uma dica é pintar com esmalte escuro e/ou fortalecedores. Mas caso não ocorra nenhuma mudança, a melhor coisa a se fazer é procurar um dermatologista que poderá receitar qualquer vitamina para melhor a saúde de suas unhas.
Maju Guaita